segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

LOGO EU ??

Eu? Logo eu, que 'julgava' ser 'blog' um 'passatempo' pra pessoas 'com tempo suficiente pra se envolver' neste difícil jogo de palavras, cores, tons, até 'purpurinas'...
JUSTO EU? que mantenho às duras penas minha conta no orkut???
Então, DESCOBRI que, um blogg nos conecta com o Brasil e com o Mundo! Abre-nos possibilidades de trocas de experiências, anseios, esperanças...
Mas QUERO MAIS!
Quero não apenas manter meu blog, mas criar a home-page de minha escola que tanto tem a mostrar, a aprender, a COMPARTILHAR!
Se a 'nota' (e isto vai ficar marcado!!)de um trabalho entregue APÓS o prazo por uma questão de COMUNICAÇÃO, ficar prejudicada, VALEU O ÁRDUO TRABALHO de vir ATÉ AQUI SOZINHA, e da perpectiva que, MESMO SOZINHA, POSSO MAIS!
Obrigada Ângela, por tua primeira presença... vou aprender muito e sei que posso me superar!
Obrigada aos que torceram para que eu não conseguisse: foi a minha força!
Obrigada aos que torceram por mim, mesmo sem poderem postar...Deus sabe de todas as coisas...
Obrigada ao Tutor Saulo... Não recebi nenhum e-mail, e mesmo com atraso, correndo contra o tempo neste final de ano letivo, talvez deixes tua marca apenas no meu currículo desta pós-graduação... veja os módulos anteriores!
Obrigada a TODOS os coleg@s que me ajudaram!
A TODOS, ABREIJOS!!!!

Letramento X Conhecimento

A importância da utilização do texto e a articulação entre as áreas de conhecimento Hiliana Alves dos Santos Soraya Pedrosa B. B. da Silveira Resumo: A leitura e a escrita são pontes incontestáveis para que haja uma inclusão do indivíduo dentro da sociedade. Tendo a escola à responsabilidade de sistematizar esses saberes, salienta-se que não é papel apenas do professor de língua portuguesa utilizar-se do texto para que haja uma aquisição significativa da linguagem. Outras disciplinas do Ensino Fundamental deveriam utilizar textos concretizados através dos gêneros disponíveis na sociedade e tipos formando conjunto com fim comum: a inserção do aluno no mundo letrado. Reconhecendo sua importância na sala de aula sugerimos que a utilização do texto aconteça com mais freqüência e que este uso possa articular-se coerentemente dentro de uma proposta interdisciplinar articulada entre as áreas de conhecimento. Diante dos resultados obtidos nos exames que avaliam o nível de leitura dos como o ENEM, SAEPE entre outros, observar o espaço que essa prática ocupa no cotidiano escolar faz-se necessário uma vez que, mesmo com tantas pesquisas dedicadas ao tema, o fantasma do analfabetismo funcional acompanha os brasileiros em pleno séc. XXI. No entanto, não podemos atribuir toda a culpa apenas ao professor, pois há diversos fatores que comprometem o processo de ensino-aprendizagem, como, por exemplo, os aspectos físicos da escola, condições de trabalho, entre outros. Todavia, no presente trabalho, deter-nos-emos a observar qual o espaço dedicado à diversidade textual na sala de aula e, por conseguinte, qual o tratamento dado à leitura no cotidiano escolar mais especificamente nas aulas de outras disciplinas, uma vez que o trabalho com a diversidade textual já se incorporou nas aulas de língua portuguesa e língua estrangeira devido aos apelos dos Parâmetros Curriculares Nacionais e ao grande número de publicações na área, publicações estas geralmente divulgadas nos cursos de Letras. Segundo as orientações apresentadas pelos PCN, todo professor, independente da sua área de formação, deve ter o texto como instrumento de trabalho. Este, por sua vez, deveria ocupar lugar de destaque no cotidiano escolar, pois, através do trabalho orientado para leitura, o aluno deveria conseguir apreender conceitos, apresentar informações novas, comparar pontos de vista, argumentar, etc. Dessa forma, o aluno poderá caminhar adiante na conquista de sua autonomia no processo de aprendizado. No entanto, o que se observa é que construir habilidades e competências que envolvam a leitura e a produção textual é papel atribuído apenas e tão somente aos professores de língua, limitando o espaço do texto na escola. No presente trabalho, utilizamos o método etnográfico quantitativo através do qual pudemos verificar o espaço dedicado ao texto em seu cotidiano escolar, assim como investigar a formação dos professores. Nosso corpus é composto por oito professores do Ensino Fundamental II de escolas da região metropolitana de Recife. Para orientar nosso trabalho, tomaremos como base as orientações dos Parâmetros Curriculares Nacionais apoiar-nos-emos nas contribuições de BAKTHIN (2003), SCHNEUWLY e DOLZ (1999), CRISTÓVÂO e NASCIMENTO (2006) e MATÊNCIO (2000).

O QUE É LETRAMENTO?

Letramento não é um gancho em que se pendura cada som enunciado, não é treinamento repetitivo, de uma habilidade, nem um martelo quebrando blocos de gramática. Letramento é diversão é leitura à luz da vela ou lá fora, à luz do sol. São notícias sobre o presidente, o tempo, os artistas da TV e mesmo Mônica e Cebolinha nos jornais de domingo. É uma receita de biscoito, uma lista de compras, recados colados na geladeira, um bilhete de amor, telegramas de parabéns e cartas de velhos amigos. É viajar para países desconhecidos, sem deixar sua cama é rir e chorar com personagens, heróis e grandes amigos. É um atlas do mundo, sinais de trânsito, caças ao tesouro, manuais, instruções, guias, e orientação em bulas de remédios, para que você não fique perdido. Letramento é, sobretudo, um mapa para o coração do homem, um mapa de quem você é, e de tudo que você pode ser! (grifo meu) (desconheço o autor)
video